Você conhece a dieta paleolítica?

É comum encontrarmos todos os dias novas dietas circulando pela internet e seja para eliminar, ou ganhar peso, é importante que você saiba os benefícios de cada uma delas – de preferência consultando um especialista. Entre tantas opções oferecidas, está a Dieta Paleolítica, muito conhecida por retirar totalmente alguns ingredientes e abusar de outros.
Construída a partir da ideia que o excesso de carboidratos é um dos principais vilões no surgimento de doenças como diabetes, excesso de triglicerídeos, taquicardias, entre outros, os especialistas resolveram retroceder a idade da pedra, onde os alimentos eram totalmente naturais e livres de aditivos químicos.  Confira:
COMO FUNCIONA?
Mesmo sendo conhecida como dieta, esse modelo que mais se identifica com um estilo de vida, aproxima-se muito a dieta mediterrânea. Dessa forma, apresentam um estilo de vida mais saudável composto com verduras, legumes, verduras, sementes, gorduras boas e muitas proteínas. Sem exigir um cardápio prévio, sendo necessário apenas seguir o consumo diário orientado pelo profissional que está lhe acompanhando.
Além disso, a paleo é muito útil para prevenir e tratar doenças como o Mal de Alzheimer, Diabetes, Osteoporose, Síndromes, entre outros, pois seus nutrientes quando são consumidos de forma correta foram uma barreira anti-inflamatória, de forma que torna-se extremamente difícil a oxidação das células. Ela também pode ser uma grande aliada daqueles que fazem o jejum intermitente, pois contribui com  a perda de peso e a hipertrofia muscular.
ORIENTAÇÕES:

  • Carne à vontade
  • Vegetais e frutas à vontade
  • Gorduras boas com moderação
  • Nada de grãos e massas
  • Hidratação apenas com água

O recomendado é procurar um profissional capacitado antes de iniciar qualquer alteração radical na alimentação

Os benefícios do gengibre

1) O que quer dizer um alimento termogênico?
São alimentos antioxidantes que aumentam a velocidade das reações químicas (metabolismo basal) e a temperatura corporal, isto é, aumentam a velocidade com que o organismo queima as calorias.
2) Quais são os outros alimentos termogênicos que existem?
São considerados alimentos termogênicos: maçã, pimenta vermelha, mostarda, vinagre de maçã, acelga, aspargos, couve, brócolis, laranja, kiwi, limão, cafeína, guaraná, chá verde, gorduras vegetais, gorduras de coco, produtos derivados de chocolate, Omega 3 e 6, CLA (Ácido Linolêico conjugado) e até água gelada.
Beber oito copos de água gelada por dia queima cerca de 200 calorias. Isto porque o organismo gasta energia para elevar a temperatura da água de 5ºC para 37ºc, que é a temperatura corporal interna.
3) É verdade que o gengibre estimula o metabolismo e, por conseqüência, auxilia na queima de gorduras e emagrecimento?
Pesquisas realizadas na China e na Grã Bretanha, indicam que o gengibre também é capaz de acelerar o metabolismo em até 20%, aumentando a queima de calorias.
4) Como tem magnésio e fósforo, estimula a fixação de cálcio aos ossos?
Sim. Cada 100 g de gengibre possui 157 mg de magnésio, que é considerado o mineral do músculo, sendo relaxante muscular e estimulante na formação de novas células;
O magnésio é indispensável na fixação de cálcio nos ossos, podendo causar ou agravar quadros de osteopenia e osteoporose no adulto e dificultar a calcificação correta dos ossos na infância e adolescência. 144 mg de fósforo, que fornece energia para as funções intelectuais e nervosas;
O fósforo participa, obrigatoriamente, da formação dos sais de cálcio, motivo pelo qual pode ser encontrado nos ossos e dentes numa proporção de 70 a 80%.
Possui ainda:
1.126 mg de potássio, importante para reposição de tecido muscular;
106 mg de cálcio, responsável pela construção e conservação da estrutura óssea;
5,2 mg de niacina (vitamina B3) eficaz na redução do colesterol.
5) Existem contra-indicações para o gengibre?
Evitar quando a pessoa possui hipersensibilidade ao gengibre ou seus componentes. Não utilizar nos períodos de gravidez, lactação, crianças menores de 6 anos. Evitar em pacientes com cálculos biliares (pedras na vesícula).
6) alguma coisa com respeito ao gengibre, talvez uma indicação especial, ou algo mais?
Por mais de 5000 anos o gengibre tem sido celebrado tanto por seus valores medicinais bem como tempero na culinária. Os gregos costumavam comer gengibre dentro de um pedaço de pão após as refeições para auxiliar na digestão. O gengibre sempre foi muito aclamado por seus efeitos positivos no sistema digestivo. Ele contém um antiinflamatório natural que pode ser utilizado para aliviar a dor.
O gengibre é obtido a partir de uma planta herbácea originária da Índia.
À parte da planta utilizada no mundo das especiarias é o caule subterrâneo (o chamado rizoma).
Trata-se de um caule carnudo com pequenas ramificações arredondadas, que muitos consideram semelhante à forma de uma mão masculina de dedos grossos e outro aproximado à forma de um pequeno homenzinho.
O Gengibre e seus constituintes exibem uma ampla faixa de atividades farmacológicas: antiemético, cardiotônico, hepatoprotetor, antitrombótico, antibacteriano, antioxidante, analgésico e antiinflamatório, bem como antitussígeno, diurético e estimulante. Preparações de gengibre abaixam os níveis de colesterol, aumentam os níveis de açúcar no sangue, causam um aumento na secreção de saliva e suco gástrico, promovem secreção biliar e aumentam o tônus intestinal e o peristaltismo.
Além disso, o gengibre pode ser um aliado contra gripes, pois tem efeito aquecedor e estimulante sobre a circulação, ajudando o corpo a se livrar de mucos e catarros. É estimulante gastrintestinal, combate os gases intestinais (carminativo), rouquidão. Externamente é revulsivo, utilizado em traumatismos e reumatismos.
Quanto consumir: 1 colher (café) por dia. Em excesso pode irritar a mucosa do estômago.
Como: use a raiz pura, ralada, como tempero (em molhos e assados, por exemplo).
Calorias: 15 em 1 colher (sopa).
Para aqueles que sentem enjôo quando viajam, quer seja de carro ou avião, aqui vai uma dica: mastigue pequenos pedaços de gengibre. A raiz contém um princípio ativo chamado gingerol tão potente como os antiemético convencionais utilizados para combater esse problema.

Low Carb

 
Plano alimentar segmentado que leva a pessoa a consumir uma taxa máxima de carboidratos de 20% e carne a vontade, de forma que, seja possível usufruir dos seus nutrientes e benefícios e ao mesmo tempo diminuir o percentual de gordura.

Café e saúde

O café possui 1% a 2% de cafeína, substância que estimula a atividade intelectual, a memória e o raciocínio, melhorando inclusive o aprendizado escolar. O segredo está na dosagem: esses benefícios podem ser sentidos desde que se tome café com moderação. Entenda-se por moderação três a quatro xícaras ao longo do dia – nunca à noite.
O açúcar no café ou no chá reduz o risco de engordar, revela uma pesquisa dinamarquesa feita com 5.200 homens. Se colocarmos uma colherinha de açúcar para cada uma das cinco ou seis xícaras pequenas de café ou chá que bebemos por dia, corremos 40% menos riscos de ganhar peso do que se consumirmos estas bebidas sem açúcar.
A explicação mais plausível é que o açúcar no café ou no chá estimula o metabolismo nos intestinos e diminui o apetite, e as calorias do açúcar são menores que a de outros alimentos eventualmente ingeridos. De acordo com pesquisas realizadas no Brasil, Estados Unidos, Europa e Japão, o consumo de até cinco xícaras de café por dia contribui na prevenção de várias doenças, como o câncer de cólon, diabetes, a doença de Parkinson e o mal de Alzheimer. Isso porque ele possui propriedades antioxidantes e protege os neurônios.
Tomar café ‘moderadamente’ melhora a saúde e reduz as possibilidades de sofrer doenças como mal de Parkinson e diabete. Segundo estudos realizados nos EUA e Europa, pessoas que tomam entre uma e três xícaras de café ao dia podem ter diminuído entre dois e cinco vezes os riscos de desenvolver mal de Parkinson.
Tomar café moderadamente reduziria entre 15% e 60% as probabilidades de desenvolver diabete, porque o grão contém minerais, cafeína e ácido clorogênico, que inibe a produção excessiva de glicose. Se consumido em excesso – mais de cinco xícaras diárias – o café pode causar dores de cabeça, debilidade, alteração dos nervos e perturbação do sono.
Pesquisas recentes mostram que os ácidos clorogênicos e as serotoninas, substâncias presentes no café após a torrefação, possuem relevantes efeitos antioxidantes que podem prevenir males como as doenças cardiovasculares e o câncer de cólon.
ALGUMAS FORMAS DE CONSUMO DO CAFÉ NO MUNDO
O café é, ao lado da cerveja, a bebida mais popular do planeta. Apesar da preferência, as suas formas de consumo são tão diversas, que podem fazer com que o consumidor mais desavisado tenha grandes surpresas. Veja como o café é consumido em alguns lugares do mundo:

  • França: o produto, muitas vezes, é bebido juntamente com chicória;
  • Áustria: pode-se beber o produto juntamente com figos secos, sendo que em Viena, a capital do país, é uma tradição o oferecimento de bolos e doces para acompanhar o café com chantilly;
  • África e Oriente Médio: é comum acentuar o sabor do café com algumas especiarias, tais como canela e cardomomo, alho ou gengibre;
  • Bélgica: o produto é servido com um pequeno pedaço de chocolate, colocado no interior da xícara, que se derrete quando entra em contato com o café;
  • Itália: a preferência é pelo café expresso servido em xícaras pequenas;
  • Grécia: o café é acompanhado por um copo de água gelada;
  • Cuba: o café é consumido forte e adoçado, e em um só gole;
  • Sul da Índia: o café é misturado com açúcar e leite e servido com doces;
  • Alemanha: em algumas regiões é servido com leite condensado ou chantilly
  • Suíça: adiciona-se ao café um licor, o kirsch;

México: em muitos lugares, o café é oferecido gratuitamente e pode ser consumido em grandes quantidades. O chamado café americano, como é conhecido no México, é o mais consumido e é uma cópia do que se bebia até poucos anos nos Estados Unidos: aguado e com pouco sabor
Dicas para coar um bom cafezinho
a) prepare somente a quantidade de bebida que vai ser consumida imediatamente ou, no máximo, durante a hora seguinte;
b) lave o coador de pano somente com água e jamais com detergentes, alvejantes ou com o mesmo café que sobrou. Guarde-o, depois de mergulhado em água limpa ou após a secagem na vara;
c) use água pura e limpa, preferencialmente filtrada ou água mineral, para se fazer o café;
d) ferva uma quantidade extra de água, para aquecer o bule ou garrafa, onde será armazenado o café, e também as xícaras;
e) o tempo de contato entre água e café deve ser:
Para moagem fina: até 4 minutos;
Para moagem média: de 4 a 6 minutos;
Para moagem grossa: de 6 a 9 minutos;
Este tempo varia conforme o equipamento e a preferência pessoal;
f) não adoce o café antes do seu preparo. Deixe isso a gosto de cada pessoa;
g) deve-se passar o pó de café somente água quente e jamais a bebida. A recirculação torna a bebida muito amarga, áspera e desagradável;
h) o café usado (esgotado ou borra) é o pior inimigo do sabor e aroma, da cafeteira e da sua saúde, jogue-o fora o mais rápido possível
i) as garrafas térmicas devem ser muito limpas e de uso exclusivo do café;

Entrevista Portal Sabores: Frutas que ajudam na dieta

Há muitos métodos auxiliares para perda de peso ou dicas que podem ser seguidas para que alcancemos resultados mais rápidos nesse sentido. Aqui no Mundo Light, você acompanha valiosas dicas de nutrição e saúde para queimar quilos e obter uma qualidade de vida mais saudável. Depois dos termogênicos, dos grãos de chia e dos alimentos antioxidantes, a dica de hoje são algumas frutas e suas propriedades naturais que podem ser eficazes no processo do emagrecimento, se acompanhadas de uma dieta balanceada e exercícios físicos regulares.
Confira quais são e o porquê de cada fruta auxiliar na obtenção do peso ideal e de uma melhor qualidade de vida. As indicadas são o figo, o limão, o camu-camu, a maçã, a banana, o abacate e a romã. As dicas aqui presentes foram reunidas pelo portal M de Mulher.
Figo                                                                           
Rico em magnésio, diminui a vontade de comer chocolate. A fruta é diurética e, graças às suas sementes, atua como laxante suave. Com baixo índice glicêmico, libera aos poucos no organismo seu açúcar natural, evitando os picos de fome. Melhor ainda se for consumida em uma salada de folhas verde-escuras com uma proteína magra.
Quantidade ideal: uma unidade por dia.
Conheça os benefícios dessa fruta cítrica (Getty Images)
Limão
O segredo do sucesso está na casca e na parte branca, que reveste os gomos. Ali se encontra a pectina, tipo de fibra solúvel que se transforma em gel no estômago e arrasta a gordura para fora do organismo. “Além disso, a pectina ajuda a saciar, facilita a digestão e regula os níveis de açúcar no sangue, evitando os ataques de fome”, afirma a endocrinologista e nutróloga Valéria Goulart, de São Paulo. A fruta é diurética, aliviando o inchaço e a celulite. Rica em vitamina C, ainda fortalece a imunidade e previne anemias.
Quantidade ideal: tome uma vez ao dia suco de um limão feito na centrífuga ou no liquidificador.
Camu-camu
Dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) revelam que o camu-camu tem quase o dobro de vitamina C que a acerola e 60 vezes mais do que a laranja. O nutriente tem tripla função para quem quer controlar a balança: ajuda a eliminar toxinas, a reduzir a gordura localizada e a estimular a circulação sanguínea, amenizando o aspecto da celulite.
Quantidade ideal: “a fruta in natura é bem ácida. Uma boa saída é consumi-la em forma de cápsula de, 1 grama, uma vez ao dia, em jejum”, orienta a médica Valéria Goulart.
Consumo diário de maçã pode reduzir em até 20% a gordura corporal (Getty Images)
Maçã
Estudo realizado na Universidade Nippon Sport Science, no Japão, verificou que o consumo diário da fruta, durante três semanas consecutivas, reduziu em 20% a taxa de gordura corporal em cobaias. Os motivos ainda não foram esclarecidos, mas os cientistas apostam na pectina – ela de novo! –, já que uma maçã média fornece entre 3 e 5 gramas da fibra. O alimento apresenta alto teor de potássio, que elimina o sódio excedente e ajuda a reduzir a retenção hídrica. Ela também é um ótimo antioxidante.
Quantidade ideal: uma unidade com casca por dia (bem lavada, por favor).
A banana pode te ajudar a diminuir a absorção de gorduras e diminuir a compulsão por doces (Getty Images)
Banana
Você tem três bons motivos para incluir a fruta na dieta. Primeiro, porque ela é rica em triptofano, aminoácido bastante usado na medicina ortomolecular para combater a ansiedade e a compulsão por massas e doces. O segundo motivo tem a ver com a presença da vitamina B6, que atua no metabolismo das proteínas e dos lipídios e ajuda a reduzir a absorção da gordura ingerida na refeição. E terceiro, porque a banana contém 2 gramas de fibras solúveis, quantidade suficiente para manter o apetite sob controle por algumas horas. É um excelente calmante intestinal.
Quantidade ideal: duas unidades por dia.
O maior benefício do abacate é reduzir a ação do cortisol (Getty Images)
Abacate
A fruta reduz a ação do cortisol, hormônio liberado em situações de stress ou jejum prolongado que favorece o acúmulo de gordura na barriga. “A substância diminui a ação do hormônio da saciedade e você sente mais vontade de comer doce”, explica a nutricionista Cynthia Antonaccio. Mais benefícios? O abacate tem alto teor de fibra, regula o metabolismo, fornece energia para malhar. Destaque para a gordura monoinsaturada, que aumenta o colesterol bom e protege o coração.
Quantidade ideal: meia unidade pequena duas vezes por semana.
Romã
As sementes oferecem três vezes mais antioxidantes do que o chá verde e o vinho tinto. Com isso, combate as inflamações no organismo, consideradas uma das causas para o desenvolvimento da obesidade. Tal ação foi comprovada em estudo feito pelo departamento de medicina da Case Western Reserve University, em Cleveland, nos Estados Unidos, que mostrou que ingerir 175 mililitros de suco de romã por dia diminui significativamente a atividade de uma proteína inflamatória.
Quantidade ideal: meia xícara de suco de romã por dia. Bata a fruta com água no liquidificador

Entrevista Rádio WebCom Brasil

A Médica, Nutróloga e Membro da ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia) fala da importância de uma boa orientação nutricional para nossa saúde.
Crises de mau humor, dificuldade para dormir, falta de disposição e imunidade baixa são alguns dos sinais de alerta emitidos pelo corpo quando algo não vai bem. Mas, embora esses e outros problemas estejam diretamente relacionados aos hábitos alimentares, a associação não é óbvia para todos, sobretudo quando as pessoas acreditam seguir uma dieta adequada.
A Pesquisa Manifesto do Corpo Saudável, desenvolvida pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), em parceria com o multivitamínico Centrum, investiga essas contradições. O levantamento, que ouviu 500 homens e mulheres acima de 18 anos das classes ABC, desvenda como o brasileiro com acesso à internet se sente em relação aos oito sinais corpo saudável – disposição, imunidade, bom humor, cabelo, pele e unhas saudáveis, sono restaurador, apetite regular, bom funcionamento intestinal e ossos e dentes fortes. A pesquisa revela ainda como essa população percebe os impactos negativos da dieta inadequada em sua saúde e bem-estar.
“As pessoas sabem o que precisam fazer para ter uma alimentação melhor, mas não aplicam esse conhecimento no dia a dia e os dados da pesquisa comprovam isso”, afirma a nutróloga Valéria Goulart, membro da ABRAN.
Mesmo entre quem afirma ter uma alimentação saudável – 71% dos homens e 65% das mulheres –, o levantamento demonstra que apenas uma parcela de fato consegue manter hábitos alimentares capazes de fornecer todos os micronutrientes (vitaminas e minerais) necessários para assegurar o bom funcionamento do organismo. Já é sabido que homens e mulheres têm necessidades nutricionais distintas e a forma como cada um cuida da alimentação também, como revela a pesquisa.
A carência de micronutrientes, conhecida como síndrome da fome oculta, colabora para o desenvolvimento de diversas doenças. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS-2004) revelam que uma em cada quatro pessoas sofre desse problema. Para ajudar a contornar esse cenário, a ABRAN e Centrum desenvolveram estudos que resultaram no lançamento do Manifesto do Corpo Saudável, em 2013, ferramenta para alertar e conscientizar a população sobre a importância dos hábitos alimentares.
 
CONFIRA AQUI 
 

Para atletas

Através da medicina esportiva, a Doutora Valéria realiza um acompanhamento especializado em atletas. Adaptando-se as particularidades e exigências de cada um, de forma que, torna-se possível proporcionar saúde, bem-estar e uma longevidade saudável para todos, além de, evitar lesões.